12 de fevereiro de 2020

[Resenha] Passarinho

#PRACEGOVER: Capa do livro
PASSARINHO
Autor (a): Crystal Chan
Editora: Intrínseca
Ano: 2012
Páginas: 488
Classificação: 
4,5/5


Sinopse: O avô de Joia parou de falar no dia em que matou o irmão dela. O menino se chamava John, e achava que tinha asas. Subia e saltava do alto de qualquer coisa, até ganhar do avô o apelido de Passarinho. Joia não teve a chance de conhecê-lo, pois Passarinho se jogou do penhasco bem no dia em que ela nasceu. Ainda assim, por muito tempo ela viveu à sombra de suas asas. Agora, aos doze anos, Joia mora em uma casa tomada por silêncio e segredos. Os pais culpam o avô pela tragédia do passado, atribuem a ele a má sorte da família. Joia tem certeza de que nunca será tão amada quanto o irmão, até que ela conhece um garoto misterioso no alto de uma árvore. Um garoto que também se chama John. O avô está convencido de que esse novo amigo é um duppy — um espírito maldoso —, mas Joia sabe que isso não é verdade. E talvez em John esteja a chave para quebrar a maldição que recaiu sobre sua família desde que Passarinho morreu.


Olá leitores do Pacote Literário!

Hoje venho contar um pouquinho das minhas impressões sobre esse livro. Li uma resenha dele há muito tempo em um blog literário, me encantei pela sinopse e o coloquei em minha lista de desejados no Skoob. Assim que tive oportunidade, o solicitei para troca, mas não realizei a leitura na época.

Por isso, "Passarinho" entrou esse ano na lista do desafio dos 12 livros para 2020 e vem nos contar a história de Joia, uma menina de 12 anos que narra o livro em primeira pessoa.

Ela teria um irmão, que ficou confuso devido a um apelido, pulou de um penhasco e não sobreviveu. Ele se chamava John e tinha apenas 5 aninhos quando essa tragédia ocorreu.

A vida de Joia nunca foi fácil. Ela nunca entendeu a tristeza e o silêncio que perpetuavam dentro de casa. E ela também sofria, por nunca ninguém nota-la ou comentar algo dela. Para os pais dela, a vida ficou realmente difícil sem John.


#PRACEGOVER: Fundo branco, um azulejo pintado com o símbolo do Pacote Literário,
dois chocolates e o livro Passarinho.


O vovô de Joia também mora naquela casa e contribui bastante para o silêncio no local: Joia nunca ouviu a voz dele e, durante muito tempo, acreditou que ele não podia falar.

Quando se sentia extremamente solitária, Joia se dirigia ao mesmo penhasco onde seu irmãozinho morreu. E ali se deleitava com uma coleção de pedras, conversas com o sol ou com as árvores.

Sentia-se em paz naquele local, parece que ali seu coração se acalmava e as coisas chegavam no lugar. Exatamente o oposto ao que sentia dentro de casa.

Certo dia, quando subiu na árvore para brincar, Joia percebeu ali outra pessoa e, pela primeira vez, Joia tinha um amigo. Mas suas primeiras interações com a família de Joia não foram das melhores.

Posteriormente, devido a uma mentira, essa amizade foi severamente abalada. Joia voltou a ficar triste e desanimada e, depois, se revoltou e buscou respostas para as dúvidas que alimentavam desde bem pequena (e que, de certa forma, tinham relação com o motivo da mentida daquele amigo).

Após essa busca de Joia, tudo começa a mudar na vida daquela família, desde as coisas mais simples como a mamãe, que já não quer mais cozinhar, até o vovô, que se aproxima de Joia pela primeira vez!

É um momento de redescoberta e de novas atitudes de todos os membros da família. A partir de então, o livro se desenvolve de uma maneira sensível e surpreendente e assim segue até o final, que me agradou bastante.

Coloquei-me no lugar de Joia, sempre tão sozinha e distante dos pais e me senti muito triste. Mas, ao me colocar no lugar de sua mãe, não há comparação para a tristeza, pois ela havia perdido um filho e, a meu ver, não existir dor maior!

Ainda não conhecia a autora, que tem uma escrita bem leve e fluida. Isso somado às reviravoltas e o drama colocado brilhantemente na história fez com que eu terminasse de ler o livro em poucas horas.

Recomendo a todos os que procuram uma história cheia de vida. Mas também cheia de dores e descobertas, grandes dramas familiares e, sobretudo, lições de vida!



#PRACEGOVER: LOGO DO PROJETO 12 LIVROS PARA
2020 COM TÍTULO E NOMES DOS PARTICIPANTES

Essa é a segunda leitura do ano para o desafio #12livrospara2020, que tem parceria com os blogs Mãe Literatura e Mundinho da Hanna! Passem lá para conferir os posts das parceiras!

E você, já leu esse livro? O que achou? Deixe seu comentário!

#PRACEGOVER: A capa do livro é azul e traz um desenho de passarinho, nuvens e a silhueta de uma criança de costas. O título é centralizado em cima e o nome da autora, embaixo da "página-capa".


PRACEGOVER: Minha caricatura com o texto:
"Matéria de Karla Samira"


3 comentários:

  1. Oi Karla
    Estou doida para ler este livro e depois da sua resenha, a vontade só aumentou.
    Ótima dica. O post ficou muito bom!
    Eu AMO nossa parceria nesta TAG.
    Bjs e até o mês que vem
    Claudia

    ResponderExcluir
  2. Que livro mais lindo, amo livro com essa carga emocional. Me lembro o livro Meu Pé de Laranja Lima, tão tocante. Eu já vou anotar aqui esse livro e tentar conferir o quanto antes.
    Jardim de Palavras

    ResponderExcluir
  3. Gente, que livro mais fofo, e ao mesmo tempo, mas misterioso. Eu fiquei mega curiosa para saber qual é a do garoto em cima da árvore.
    Bjks!

    Mundinho da Hanna
    Pinterest | Instagram | Skoob

    ResponderExcluir

© Pacote Literário ♥ 2016 - Todos os direitos reservados. Personalizado por: Taty Salazar || Tecnologia do Blogger. imagem-logo