7 de dezembro de 2019

[Resenha] Uma lição inesquecível


UMA LIÇÃO INESQUECÍVEL
Autor (a): Laura Schroff
Editora: Universo dos Livros
Ano: 2013
Páginas: 256
Classificação: 5/5
Sinopse: 
– Com licença, senhora. Tem uma moeda? Tô com fome. Manhattan, Nova York, 1986. Foi assim que começou essa história no mínimo improvável. Ela, uma diretora comercial bem-sucedida de 35 anos no auge da carreira. Ele, um garotinho negro de onze anos que sobrevivia pedindo esmolas na rua. Cada um seguia sua vida em mundos geograficamente próximos, mas completamente distantes um do outro. Até que algo inexplicável, uma espécie de fio invisível, os une de maneira permanente. E a vida deles – essa vida que, de formas distintas, já parecia tão consolidada e firme tanto para ela quanto para ele – mudará para sempre. Como eles nunca poderiam imaginar.

Olá, leitores do Pacote Literário! Hoje trago para vocês a resenha de "Uma lição inesquecível".

O livro vem nos contar a história de Laura, uma brilhante executiva do ramo da publicidade. Laura teve uma infância bastante sofrida devido aos ataques de fúria provocados pelo seu pai, que era alcoólatra.

Trabalhando na maior parte das vezes no turno da noite, o pai de Laura chegava em casa e, transtornado, descontava na família a amargura do seu vício.

No que deveria ser mais um dia comum na vida de Laura, um mendigo ainda criança, e pede uma moeda. Ela então continua o seu caminho, mas algo a faz retornar e conversar com ele.



O mendigo em questão era Maurice, um menino de 11 anos.
Maurice dizia estar com fome e então Laura lhe propôs fazerem juntos um lanche no McDonald's.
Isso ocorreu em uma segunda-feira e, a partir daí, algo mudou na vida dos dois. Laura lhe propôs que comessem juntos todas as segundas-feiras.

Algumas semanas depois, a confiança cresceu entre os dois e aquela relação se transformou em uma lindíssima amizade. Apesar dos alertas e preocupações de todos os seus amigos e familiares, Laura jamais pensou que Maurice poderia lhe trazer qualquer problema.
E a intuição dela sobre ele estava certa: a amizade dos dois se desenvolveu tanto que ela passou a dividir com ele muitos outros momentos.



O desenvolvimento do livro segue pelas vidas de ambos os personagens. É importante ressaltar que se trata de uma história real, o que a torna ainda mais forte e emocionante!
A escrita de Laura, em primeira pessoa, é fluida e me impressiona saber que este foi o primeiro e único livro dela, movido por uma força de quem quer contar ao mundo a sua história.

"Às vezes não somos atraídos por aquele que é diferente dos nossos medos: somos atraídos exatamente por aquilo que tememos."

Preciso confessar que, em alguns momentos escaparam algumas lágrimas tamanha a emoção e, algumas vezes, a tristeza das cenas narradas por Laura.

Não se trata apenas da vida de Maurice nas ruas, que envolvia familiares que se dedicavam ao tráfico de drogas, prisões, ameaças e outras tragédias. Mas também de uma infância que poderia ter sido muito melhor e mais amena, mas que outro vício destruiu! Aqui estou falando de Laura!

Como muito bem ficou escrito no final do livro, essa é a história de um encontro necessário entre duas pessoas que se complementaram em uma amizade gostosa, forte e fascinante, na qual ambos empregavam a mesma dedicação e aprendiam diariamente um com o outro.



A impressão que fica é que Laura salvou Maurice de outro caminho, qual seja, o da criminalidade!
Porém, como Laura muito bem expõe, Maurice também salvou Laura quando lhe faz reanalisar aspectos de sua vida e querer ser uma pessoa melhor, que luta por objetivos, se torna mais compreensiva e quer passar mais momentos em família.

O nome do livro não poderia ser outro, tendo em vista as inúmeras questões abordadas que são verdadeiras lições não apenas para Laura e Maurice, mas para todos os leitores!

Recomendo a todos os que curtem uma boa história, repleta de dramas familiares e grandes lições de vida. Preparem os lencinhos, mas a recompensa também vale a pena: muitos sorrisos durante e ao final do livro.



Essa leitura faz parte do desafio #12livrospara2019, embora a postagem esteja bem atrasada (deveria ter saído em 12 de novembro) e também do Projeto #leiamulheres, já explicados aqui no blog.

E você, já leu este livro ou outro no mesmo sentido? O que achou? Conte-nos nos comentários!



3 de dezembro de 2019

[Resenha] E não se esqueçam de regar os girassóis

#PRACEGOVER: Capa do livro com uma
mulher de cabelos longos, de costas e a
mão de um homem com uma flor
vermelha. Na frente, o título do livro
E NÃO SE ESQUEÇAM DE REGAR OS GIRASSÓIS
Editora: Independente
Autor (a/es): Sara Bentes

Ano: 2016
Páginas: 241


Sinopse: Uma trombada forte no corredor e coisas derrubadas no chão; é desta maneira bem clichê que Emanuel e Giovana se conhecem, só que ele, apoiado em suas muletas, não consegue se abaixar para pegar o que ela derrubou de suas mãos, e ela, com apenas 10% de visão, não enxerga os objetos espalhados no piso.
Com humor e realismo, "E não se esqueçam de regar os girassóis" conta a história desses dois jovens cercados de arte, de amigos interessantes, numa cidade praiana de médio porte onde não é difícil todos terem seus passados entrelaçados.
Emanuel é um programador criativo e carismático, um palhaço incorrigível, que traz no corpo as consequências de escolhas violentas e autodestrutivas de um passado já superado, enquanto Giovana, uma artista sensível que ama a natureza, ainda chora a perda recente do sentido mais valorizado do ser humano: a visão. Ele se esforça para ajudá-la a se superar, a se alegrar e a focar nas soluções, na coragem e no amor, ao mesmo tempo em que continua cumprindo o que acredita ser sua missão: ser um hacker do bem e combater a violência invadindo e desfigurando páginas na internet que incentivem qualquer tipo de agressão.
Juntos, viverão desafios e surpresas, terão que encarar preconceitos, inclusive os deles próprios, terão que descobrir maneiras de lidar com suas diferenças e traumas, e verão essa crescente união ameaçada quando uma das invasões digitais de Emanuel mexe com gente perigosa e coloca a vida de Giovana em risco...
Com toques de poesia e olhares profundos, esta estória fala do ser humano, e vai te surpreender.

Bom dia leitores do Pacote Literário! Hoje temos resenha feita pela nossa colaboradora Isadora, do Olhar Cotidiano

#PRACEGOVER: Caricatura da Isadora Nascimento com a logo da página Olhar Cotidiano

Vamos ver as impressões dela sobre esse livro?

Li o Livro” E não se esqueçam de regar os girassóis”da autora Sara Bentes.

A identificação com a história veio logo no comecinho do primeiro capítulo.  Me vi em Giovanna, uma personagem com deficiência visual que com naturalidade, enfrenta os desafios trazidos por sua deficiência e com Emanuel, deficiente físico que lida com suas limitações sempre de sorriso estampado no rosto.

O caminho dos dois personagens se cruza quando se trombam de forma desastrosa na Escola de Artes onde frequentam. Giovanna esbarra em Emanuel e deixa todas as moedas que ele acabara de juntar caírem no chão. Ele sem poder abaixar e ela sem conseguir enxergar perfeitamente. E agora?

Giovanna não toma isso como um problema e dá um jeitinho de pegar moeda por moeda orientando-se pelo contraste entre o brilho e o chão escuro, algo tão comum na vida de pessoas como eu que também tenho baixa visão. A última moeda, não encontrada por ela, só consegue ser resgatada quando os dois se ajudam. 

O tempo passa e Giovanna perde completamente a visão. Agora é hora de explorar novos sentidos, não ter medo e redescobrir sua independência. Além disso, a personagem se sente muito ferida por seu último relacionamento que deu errado bem no meio da perda total da visão. Emanuel é peça fundamental da vida de Giovanna.

Ele mostra a jovem que sempre existe um novo caminho ou uma nova forma mais leve de driblar as dificuldades. Os dois começam a construir uma linda história de amor e cumplicidade. Provam que nenhuma deficiência é limite para quem se ama.
Com muita sensibilidade a autora do livro nos mostra situações recorrentes na vida de uma pessoa com deficiência.

No caso de Giovanna, a questão de não ter segurança em andar em lugares que não conhece, a fase de adaptação após a perda total da visão, as inseguranças, os preconceitos que criam barreiras. No caso de Emanuel, a vida prática de quem precisa de muletas em alguns momentos e cadeira de rodas quando as pernas não possuem força o suficiente.

As adaptações que muita gente não nota que deveriam existir nas ruas e demais ambientes para quem é usuário de cadeira de rodas, os olhares curiosos, situações muitas vezes cômicas provocadas por quem não sabe lidar com aqueles que escapam do padrão fechado imposto pela sociedade.

O romance dos personagens é permeado por muita música e descrição de paisagens bonitas. É muito tranquilo imaginar as imagens ricas em detalhes tanto dos lugares quanto de todas as pessoas que compõem a história. 

Emanuel e Giovanna são um casal que se complementa. Constroem um amor puro mas Emanuel esconde segredos. Esconde o verdadeiro motivo de sua deficiência atrás de histórias mirabolantes que inventa e realiza um trabalho perigoso. O decorrer da trama traz muitas surpresas envolvendo os dois.

Esse é o terceiro livro que li que fala de personagens com deficiência visual. O primeiro, a biografia de Louis Braille (depois conto mais sobre ele), o segundo, “Os Olhos de Emma”(já resenhado aqui) e agora “E não se esqueçam de regar os girassóis”.

Gostei muito desse último pois apesar de ser uma ficção, conseguiu trazer muita realidade nas vivências em relação a deficiência.

Pensei em cenas da minha vida quando resolvi aprender a mexer no fogão, quando muitas vezes estou em um lugar em que não conheço e preciso memorizar pontos de referência para me localizar, quando as vezes estou comendo alguma coisa usando talheres e levo o garfo vazio à boca pensando ter pego um tantinho de comida, a sensação incrível que tenho ao arriscar fazer algo pela primeira vez e dar certo, as incertezas, os medos de errar.

Tudo é crescimento e questão de encarar com leveza e bom humor assim como Giovanna. Fiquei feliz de ter lido essa história! Até a próxima!

A quem se interessar, esse é o Instagram da autora e essa é a música tema do livro, cantada pela própria autora, que também é cantora! 

Essa leitura faz parte do Projeto #leiamulheres, já explicado aqui no blog, bem como do #leianacional.

E você, já leu esta história ou outras com personagens que tenham deficiência? O que achou? Conte-nos nos comentários!

#PRACEGOVER: Logo do Pacote Literário, com os
dizeres: "Matéria de Isadora, postado por Karla Samira



26 de novembro de 2019

[Resenha] Um mais um


Autor (a): Jojo Moyes
Editora: Intrínseca
Ano: 2015
Páginas: 320
Classificação: 4/5

Sinopse: 
Há dez anos, Jess Thomas ficou grávida e largou a escola para se casar com Marty. Dois anos atrás, Marty saiu de casa e nunca mais voltou.
Fazendo faxinas de manhã e trabalhando como garçonete em um pub à noite, Jess mal ganha o suficiente para sustentar a filha Tanzie e o enteado Nicky, que ela cria há oito anos. Jess está muito preocupada com o sensível Nicky, um adolescente gótico e mal-humorado que vive apanhando dos colegas. Já Tanzie, o pequeno gênio da matemática, tem outro problema: ela acabou de receber uma generosa bolsa de estudos em uma escola particular, mas Jess não tem condições de pagar a diferença. Sua única esperança é que a menina vença uma Olimpíada de Matemática que será disputada na Escócia. Mas como eles farão para chegar lá?
Enquanto isso, um dos clientes de faxina de Jess, o gênio da computação Ed Nicholls, decide se refugiar em sua casa de praia por causa de uma denúncia de práticas ilegais envolvendo sua empresa. Entre ele e Jess ocorre o que pode ser chamado de ódio à primeira vista. Mas quando Ed fica bêbado no pub em que Jess trabalha, ela faz questão de deixá-lo em casa, em segurança. Em parte agradecido, mas principalmente para escapar da pressão dos advogados, da ex-mulher e da irmã — que insiste em que ele vá visitar o pai doente —, Ed oferece uma carona a Jess, os filhos e o enorme cão da família até a cidade onde acontecerá o torneio.
Começa então uma viagem repleta de enjoos, comida ruim e engarrafamentos. A situação perfeita para o início de uma história de amor entre uma mãe solteira falida e um geek milionário.


Olá leitores do Pacote Literário!

Hoje venho trazer para vocês a resenha do livro Um mais um, da autora Jojo Moyes.

Como já mencionei aqui, sou muito fã dessa escritora, que tem o dom de nos emocionar com suas histórias. Com esse livro não foi diferente!

Recebi o livro em uma ciranda literária de que participo e achei muito válida a indicação e a leitura!




Jojo vem nos contar a história de uma família diferente da tradicional, em que Jess trabalha como faxineira para sustentar os filhos.

Recém separada do pai de seus dois filhos adolescentes, trabalha duro para nem sempre ter o bastante para pagar as contas ao fim do mês.

Certo dia, sua filha recebe a proposta de participar de uma olimpíada de matemática com o objetivo de conseguir uma bolsa de estudos para uma maravilhosa escola particular.

Ocorre que Jess não tinha dinheiro suficiente sequer para que a menina viajasse, para que fosse possível fazer a prova nas olimpíadas!


"Sentia alívio por não ter que se preocupar com a possibilidade de ele roubar seu futuro e o das crianças com um próximo projeto mal planejado."

Após uma primeira tentativa frustrada, alguém aparece em sua vida e eles embarcam rumo ao local da prova. No carro, além do cavalheiro que lhes auxilia, Jess, seus dois filhos e o cachorro da família viajam por horas a fio. Muitos problemas, discussões e acontecimentos depois, chegam para que Tanzie demonstre toda a sua habilidade matemática.

Ed tem uma história completamente diferente daquela família e, cheio de problemas profissionais, resolve ajudar Jess por gratidão a uma noite em que precisou de seu auxílio e pôde contar com ela.




O livro se desenvolve para muito além desse enredo principal, com diversos pontos interessantes e variações de escrita entre drama e comédia.

Um tema muito bem trabalhado foi a questão do bullying, tanto a sua gravidade quanto a reação de quem sofre com tal prática e, ainda, as consequências que isso traz para a vida de quem faz e para as vítimas.

Outro ponto muito interessante no livro (em que a autora sempre arrasa!) é o drama familiar! Todos os personagens têm feridas abertas de cunho familiar e é muito sofrido e muito gostoso, ao mesmo tempo, ver algumas coisas se desenrolarem.

Uma polêmica sobre pensão alimentícia é muito bem colocada no livro, tendo em vista que o pai nunca contribuiu para a criação dos filhos de Jess, mas uma descoberta pode mudar a forma como eles viviam até então!

Muitas lições são aprendidas durante a viagem! E, no retorno, como nada são flores nas vidas desses pobres personagens, um segredo guardado naquela noite em que Jess ajudou Ed volta à tona e maltrata os coraçõezinhos de todos, inclusive o do leitor!


"Minha mãe sempre nos disse que coisas boas acontecem a pessoas boas. Adivinhe só? Ela não diz mais isso."

O final é muito interessante e só posso dizer que adorei, pois a meu ver, cada um teve o que realmente mereceu de acordo com a história.

Os capítulos são narrados por vários personagens, o que nos dá a visão de cada um deles, sem perder o fio da meada da história.




A edição da Editora Intrínseca é simples, mas elegante, com uma capa bonita, folhas amareladas, fonte confortável à leitura e revisão impecável!

Recomendo a leitura a todos que curtam um bom romance recheado de dramas pessoais e familiares, dúvidas, problemas e pessoas que realmente querem resolver e enfrentar de frente o que a vida lhes propõe!


O livro faz parte do desafio #leiamulheres já explicado aqui no blog!

E você, já leu este livro ou outros da autora? O que achou? Conte-nos nos comentários!



© Pacote Literário ♥ 2016 - Todos os direitos reservados. Personalizado por: Taty Salazar || Tecnologia do Blogger. imagem-logo