28 de setembro de 2017

[Resenha] Mulheres querem sexo, homens sempre têm dor de cabeça

MULHERES QUEREM SEXO, HOMENS SEMPRE TÊM DOR DE CABEÇA

Autor: Christian Thiel
Editora: Cultrix
Ano: 2017
Páginas: 288

Livro cedido em parceria com a editora

Sinopse: Neste livro surpreendente, Christian Thiel, filósofo e terapeuta especialista em relacionamentos amorosos, destrói os mitos sobre como homens e mulheres enxergam o amor e o sexo. Você vai descobrir que a maior parte do que pensamos sobre o amor baseia-se em mitos e ilusões aceitos como verdades absolutas que podem acabar sendo muito prejudiciais. Convicções e ideias equivocadas podem causar sofrimento e conflitos em nossa vida amorosa, e, por isso, o autor reúne os erros mais comuns e surpreendentes e busca "resgatar o amor" através do entendimento real dessas situações. Ao final da leitura, você vai ter de abrir mão de muitas ilusões, mas, em compensação, saberá muito mais sobre sexo, relacionamentos e amor!





Olá leitores queridos! Hoje venho trazer para vocês um pouquinho do que senti nessa leitura que considero super polêmica, como se pode perceber pelo título.

Quando fiz essa escolha no catálogo do Grupo Editorial Pensamento, imaginava um livro completamente diferente, algo mais parecido com o que estou acostumada a ler sobre relacionamentos.


Porém, o que chegaram foram grandes polêmicas sobre sexo e relacionamento que, como o autor mesmo admite, tentam desconstruir o que ele chama de "mitos" da sociedade.

Um ponto que me deixou impressionada foi que se trata de um escritor alemão, mas o que é falado serve para pessoas de todos os países do mundo.

Então vamos lá!

O autor escreve, em cada capítulo, sobre o que considera um mito que a sociedade repete ao longo das décadas e explica detalhadamente porque discorda deles.




Coisas como "Os homens só pensam naquilo", "É preciso discutir a fundo qualquer tipo de problema", "Filhos seguram um relacionamento" e "O número de solteiros cresce sem parar" são alguns dos títulos dos capítulos e, consequentemente, assuntos com os quais ele não concorda e nos mostra o porque.

A minha dificuldade maior ao ler a obra foi justamente por discordar de muitos pontos abordados pelo autor. Vou citar alguns exemplos.

Ele considera um mito que ter amor-próprio é essencial para se amar alguém. Eu não concordo com o autor, pois penso que o autoamor é essencial até mesmo para que se saiba o que é amor. Se alguém não se ama, pode se apaixonar, pode sentir carência, dependência ou necessidade pelo outro. Mas não amor. Nesse capítulo, também não compreendo que ele peça ao leitor que seja racional, pois é óbvio que, quando se fala de amor, não há razão que o consiga compreender.

Ainda nesse meio, acho o autor contraditório quando, em outro capítulo, afirma que "Os problemas (de um relacionamento) começam quando um dos parceiros - ou até ambos - costuma deixar de lado as próprias necessidades em prol da paz no amor." Ele não acaba de descrever, exatamente, uma forma de falta de amor-próprio?




Outra afirmativa dele com a qual eu não concordo é a de que alguns problemas conjugais simplesmente não podem ser resolvidos. Eu acredito que aprender a lidar com algumas coisas que não podemos mudar seja, simplesmente, resolver o problema.

Porque, a partir do momento em que não se sofre mais por algo que você compreendeu que não pode mudar, aquilo deixa de ser um problema no relacionamento, ou seja, você o solucionou, ao contrário do que diz o autor.

Confesso que nesses e em outros pontos, me senti como um "peixe fora d´água", por ter um relacionamento há mais de 13 anos e ter posturas completamente diferentes do que ele diz no livro.




Porém, nem tudo é discordância e achei bem interessantes alguns pontos, dos quais separei alguns trechos e deixo aqui para vocês.

"Toda crítica pode ser reformulada com facilidade em um desejo ou pedido."

"São claras as evidências de que os casais se separam não porque brigam, mas porque não sabem como brigar."

"As conversas que se iniciam com um pedido, uma pergunta ou um desejo estão a priori voltadas a um objetivo concreto."

A parte gráfica está impecável: páginas em bege claro e letra confortável à leitura, com tamanhos e cores de fontes maiores nos títulos e subtítulos dos capítulos. A capa, em um rosa muito bonito e a fonte grande do título também chama a atenção.

Gostei da obra e a recomendo a quem curte um livro polêmico sobre relacionamentos.


Clique aqui e adicione Mulheres querem sexo, homens sempre têm dor de cabeça no Skoob



18 comentários:

  1. Oi Karla! Concordo com você, principalmente no que tange ao amor próprio. Descobri a duras penas que, não me amando não era capaz de amar a mais ninguém, então fiquei curiosa pela leitura dessa obra, pois quero ver os pontos polêmicos que você comenta. Bjos

    ResponderExcluir
  2. Oi Karla,
    Então me identifiquei muito com você nos vários pontos que você citou e concordo muito com você principalmente sobre o amor-próprio. Infelizmente por isso, acho que vou deixar passar a dica pelo momento. Fiquei curiosa somente para saber se ele fala algo sobre o "mito das mulheres terem dor de cabeça" e o que ele acha disso, se puder me responder lá pelo blog.
    Beijos
    Raquel Machado
    Leitura Kriativa
    http://leiturakriativa.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. Ola Karla lindona nos pontos onde você não concordou com o autor, te apoio eu sou a favor de se amar antes de qualquer coisa ou alguém, nosso amor próprio nos da força e serenidade para enfrentar muitas situações. E tudo nessa vida tem solução exceto a morte. Não conhecia o livro achei bem interessante a temática do mesmo. beijos

    Joyce
    Livros Encantos

    ResponderExcluir
  5. Olá, tudo bem?

    Não conhecia essa obra e confesso que não fiquei curiosa em ler. Mas a premissa do livro é interessante. Apesar de não ter vontade, vou anotar a dica, quem sabe no futuro eu dê uma oportunidade.

    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Não seria o tipo de leitura que eu faria no momento, mas gosto do quê de polêmica que o texto do autor levantou. Também discordo de algumas questões levantadas por ele, mas acho que para ter uma ideia geral do que ele pretendia eu precisaria ler o livro. Não posso simplesmente, julga-lo sem antes conhecer seu intento. Apesar de concordar com algumas que disse para ter total certeza pra afirmar qlqr coisa sobre o assunto, só lendo mesmo para ter uma base. Entao, vou aguardar a dica para uma análise em breve.

    Raíssa Nantes

    ResponderExcluir
  7. Admito que não curto muito essa vertente literária, mas o titulo é no minimo peculiar!! Adorei!! huahua
    Adorei também conhecer um pouco sobre a história aqui no seu blog, mas mesmo assim, eu vou passar a dica hoje.

    Beijo!

    #Ana Souza
    https://literakaos.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  8. Oi, Karla
    Pelo jeito o conteúdo é ainda mais polêmico que o título. Pelas coisas que você citou, acho que também não concordaria com muitas coisas que o autor narrou. É tudo uma questão de visão, né?
    Não sei se leria o livro no momento, mas gostei de saber sua opinião.

    ResponderExcluir
  9. Oie!

    Guria eu nunca senti interesse em ler livros sobre esse assunto, uma porque não faz nem um pouco o meu estilo literário e outra que acho que são assuntos bem pessoais e que cada um tem uma visão disso! Por isso passo a dica!

    BJss

    ResponderExcluir
  10. Oie!
    Eu ainda não conhecia esse livro, mas achei interessante. E gostei muito do que apontou sobre os pontos que não concordou, por ter uma visão diferente.
    Uma ótima dica! Gostei do seu texto.
    Bjks!
    Histórias sem Fim

    ResponderExcluir
  11. Oi Karla.
    Também achei que esse livro seria polêmico e cheio de coisas com as quais eu não concordaria, desde o título.
    Concordo com você quando diz que o amor-próprio é essencial não para amarmos o outro, mas porque a partir do amor a nós mesmos, se sabe o que é amor de verdade.
    Acho que o livro não deve ser levado tão a sério e lido criticamente, não como um manual de regras a se seguir.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  12. Oiii tudo bem??

    Esse livro realmente mexeu com você em, mas apesar de você não concordar eu concordo com ele em alguns pontos pelo que citou.
    Quanto ao tema do livro, acho que não leria, não consigo me prender a este tipo de leitura, mas foi bom conhecer.
    Bela resenha,
    Bjus Rafa

    ResponderExcluir
  13. Oi, Karla! Adorei sua resenha. Concordo com você quando diz "Ele considera um mito que ter amor-próprio é essencial para se amar alguém. Eu não concordo com o autor, pois penso que o autoamor é essencial até mesmo para que se saiba o que é amor." Também acho que a pessoa tem que primeiro ser feliz consigo, ser feliz sozinha para depois tentar ser feliz com alguém. Fiquei curiosa para ler. Beijos!

    ResponderExcluir
  14. Adorei sua resenha, deve ser um livro bem interessante de se ler e talvez em alguns momentos eu não vá concordar com ele rsrsrs
    Mas gostaria de ler o livro sim! Vou anotar a dica.

    Bjs
    Suka
    http://www.suka-p.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  15. Oi Karla
    Este livro me chamou a atenção também
    Gostei muito do seu post! Fiquei ainda mais curiosa para ler agora...
    Bjks mil

    ResponderExcluir
  16. Olá!

    Já tinha ouvido falar nele, mas nunca tinha lido uma resenha, achei bem interessante, mas não é o tipo de livro que procuro.

    ResponderExcluir
  17. Ola flor, tudo bem? Confesso que torci o nariz quando vi sobre o que era o livro haha. Não existe uma formula mágica para um relacionamento. As únicas essenciais é se amar e ser flexível. Oras! 13 anos de relacionamento já é o suficiente para ele sentar com vocês e pedir conselhos! haha Fiquei meio brava haha.
    bjus

    ResponderExcluir
  18. Heiii, tudo bem?
    O título chama a atenção e até fiquei curiosa, mas assim como vc acho que teria mtas coisas que nao concordaria e acabaria pegando raiva do livro, sou assim meio brava mesmo hahah.
    Não é um tipo de leitura que me agrada, acho que mta coisa é escrita apenas para encher as páginas e com fundamento nenhum.
    Gostei de conhecer o livro, mas acho que nao devo ler.
    Beijos.

    Livros e SushiFacebookInstagramTwitter

    ResponderExcluir

© Pacote Literário ♥ 2016 - Todos os direitos reservados. Personalizado por: Taty Salazar || Tecnologia do Blogger. imagem-logo